Publicado 23/02/2022

Tendências de 2022 no mercado de varejo

Nos dois últimos anos, houve uma grande transformação nos hábitos de consumo. Com uma competição acirrada, é preciso entender o que o mercado traz de inovações para o setor.
Assim, para 2022, é indispensável que varejistas continuem estudando e inovando, principalmente no mundo on-line, cuja junção com os canais físicos trará mais oportunidades ao negócios. O varejo agora vive a era do Figital (a mescla do físico com o digital), também conhecido como omnichannel ou multicanal.


Confira 5 tendências do varejo para 2022 e utilize-as como base para transformar sua estratégia de vendas e alavancar sua marca este ano.

Garanta uma gestão integrada e automática
Soluções para a gestão de precificação de produtos, combate às fraudes, entre outras inovações que envolvem o processo de venda, vão continuar ganhando espaço, deixando as operações mais práticas e seguras.

Ofereça a melhor experiência para o cliente
Entenda as preferências de quem compra em sua empresa para saber quanto e como investir em cada cliente. Isso o ajudará a oferecer um serviço melhor, gerando fidelização. Ofereça conveniência, investindo na integração do on-line com o off-line.

Posicionamento de marca
Independentemente do segmento do mercado em que a empresa atua, o posicionamento de marca é uma estratégia de marketing incrível e que transmite uma imagem positiva ao público, proporcionando resultados expressivos nas vendas e grande influência no futuro e no sucesso do negócio.

Explore o uso do PIX
O aplicativo de pagamento eletrônico instantâneo ganhou muita força no e-commerce porque digitalizou as compras das pessoas que queriam pagar no cartão de débito. Além disso, por ser rápido e fácil, permite que as compras aconteçam com mais comodidade e velocidade.

Invista no live commerce
O live commerce traz aspectos que o e-commerce não tem, como humanização, presença, curadoria, esclarecimento de dúvidas. O consumidor, além de ter mais informações e detalhes sobre o que está adquirindo, pode conseguir, inclusive, uma redução de preços. Em 2021, só no mercado chinês, esse formato movimentou US$ 131 bilhões – o equivalente a R$ 681,28 bilhões – e já representa 37% do total de vendas por meio de social commerce (dados da consultoria eMarketer).

Qual dessa tendências combina com seu negócio? Você já investiu ou investe em alguma delas?

Por Helena Cavalcanti e Paula Amaral