Publicado 29/02/2024

Diversidade 50+ no mercado de trabalho

Você já deve ter ouvido alguém desabafar sobre a dificuldade de se conseguir um emprego após uma certa idade. Isso é algo comum no mercado de trabalho e que, infelizmente, acaba influenciando na autoestima de profissionais altamente competentes e que ainda têm muito a acrescentar às equipes que se inserem.

Muitas empresas ainda seguem a ideia de que profissionais mais jovens produzem melhor ou que acabam desenvolvendo melhor as suas atividades, na Posigraf a gente pensa diferente. Seguindo o conceito de ESG (Environmental, Social and Governance – Meio Ambiente, Social e Governança), aqui os profissionais 50+ são mais que bem vindos, pois trazem a experiência e bagagem que só quem já teve muitos anos de carteira pode agregar.

Atualmente no Brasil 26% de sua população é formada por pessoas acima dos 50 anos, sendo 19% a taxa de profissionais 50+ inseridos nas empresas. Isso sem considerar, é claro, trabalhadores informais, os quais não fazem parte do levantamento. Considera-se que essa população gire hoje em torno de 9,3 milhões de pessoas, um aumento de 110% se comparado o período entre 2006 e 2021, em que a população dessa faixa etária é de 55,5 milhões, um aumento de 63,2%.

Isso é o suficiente para nos mostrar que a população brasileira envelhece exponencialmente ao longo dos anos, elevando para 57% os trabalhadores que terão mais de 45 anos até 2040 no país, segundo projeção da Ernst & Young Brasil. No entanto, ainda há uma carência de oportunidades para esses trabalhadores. O que falta para que eles tenham mais espaço no mercado de trabalho?

Uma reportagem da Forbes de 2022 revela que esse grupo de profissionais é o que se mostra mais satisfeito no trabalho, levando em conta indicadores de reconhecimento, liderança e compromisso ESG. Estabilidade e valorização por salário e benefícios também são características desse público. Essa é uma informação que precisa ser olhada com mais atenção, tanto pelo RH das empresas quanto pelos gestores das vagas, afinal, essas são características ainda bastante valiosas para as companhias.

Para a gerente de RH da Posigraf, Sandra Reggiani, destaca a experiência como uma das vantagens de se ter esse profissional “os anos adquiridos ao longo da carreira permitem que a tomada de decisão seja mais assertiva. Como já vivenciaram algumas situações, o aprendizado com erros e acertos trazem a maturidade necessária para as soluções”, comenta Sandra.

Quando falamos sobre etarismo, ela ressalta que é primordial ter o apoio do grupo de executivos e, a partir disso, fazer um trabalho de sensibilização com as lideranças, deixando claro os impactos positivos que a população 50+ gera para a empresa.

Por aqui acreditamos que esse encontro de várias gerações é crucial para o nosso desenvolvimento e sucesso contínuo, demonstrando nosso comprometimento com uma equipe verdadeiramente inclusiva e dinâmica.