Publicado 29/04/2021

Dicas de como fazer uma boa diagramação para mídia impressa

Para que materiais gráficos como flyers, livros, revistas e catálogos tragam resultados, é fundamental saber como fazer a diagramação deles. Sem este processo a funcionalidade da peça pode ser perdida. Ou seja, uma diagramação para mídia impressa criativa e eficiente é muito mais do que uma questão estética.

A criação de uma mídia impressa deve reunir algumas técnicas e práticas de design gráfico para distribuir e organizar os elementos de texto e de imagens em uma página. Além disso, a parte técnica deste processo demanda alguns requisitos para que a gráfica responsável possa entregar o melhor produto final possível.

Vamos te mostrar, neste post, algumas dicas de como fazer uma diagramação em que o conteúdo seja facilmente entendido e atrativo ao mesmo tempo. Boa leitura!


7 dicas de como fazer uma boa diagramação para mídia impressa

1. Defina os softwares com os quais vai trabalhar

softwares para diagramação de mídia impressa, InDesign, Photoshop, Corel Draw

Há diversos softwares que podem ser usados na diagramação. Para materiais que exijam muito texto – como livros, flyers e manuais – o ideal é o InDesing. Ele te dá vários recursos que otimizam o trabalho com a parte textual ao melhorar e aprimorar a diagramação da peça. É também um ótimo software para a finalização das artes finais. 

Se a sua necessidade é mesclar ilustrações e pequenos espaços de texto, indicamos que você use o Illustrator ou o Corel Draw. Essa recomendação também vale para criar letterings personalizadas. Esses dois softwares têm recursos incríveis para se trabalhar com ilustração.

Para a composição de fotos, no casos de posters ou peças publicitárias que necessitem de tratamento de imagem avançado, a sugestão é que se use o PhotoShop e, depois, finalize a parte de texto no Illustrator ou InDesign.


2. Pense no formato do material

diagramação para mídia impressa

Antes de iniciar o seu trabalho, sua primeira tarefa deve ser avaliar o formato que irá trabalhar. A diagramação para livro, por exemplo, é bem diferente daquela aplicada em uma revista. Cada um destes materiais trabalham com elementos e recursos particulares, que variam de acordo com as suas finalidades. Um folder, por exemplo, dependendo da forma como foi criado, pode ter um formato vertical, mas ter um arquivo de impressão na horizontal, dependendo da forma como será dobrado e cortado.

Outro ponto importante é pensar se alguma solução criativa usada na diagramação para mídia impressa exigirá um corte ou dobra diferenciada no momento da impressão. Quando isso acontece, é necessário criar um arquivo para a confecção de faca para corte e vinco, que será enviada para a gráfica junto com o projeto final.

Do mesmo modo, existem algumas regrinhas que são fundamentais para garantir uma boa qualidade final aos materiais, como por exemplo, a paginação correta do material, evitando erros na montagem.

Também é muito importante pensar em qual é a melhor maneira de criar a faca de um jeito que não se descarte muito papel, pois além de ser uma prática sustentável, esta é uma forma de tornar a impressão mais barata.

Para finalizar a parte sobre o formato, antecipe-se a respeito das cores e/ou imagens que irá utilizar no material gráfico. Lembre-se sempre de trabalhar no padrão correto da escala de cores, que no caso dos impressos é o CMYK, por ser baseado em pigmentos.

Não se esqueça de levar o “overprint” (imprimir sobre) em consideração. No InDesign, por padrão, as amostras de cores estão definidas para não aplicar overprint, evitando que uma cor fique sobre a outra na impressora, deixando as cores diferentes do esperado. Se você trabalha com outra ferramenta, fique atento a isso!

Já no caso das fotos e/ou imagens, elas devem sempre estar em uma resolução que tornem possível a sua visualização no produto final. Para arquivos impressos o padrão é de 300 dpi (pontos por polegada).

Portanto, antes de abrir o programa para diagramação, avalie o propósito do seu material, estude a identidade visual da sua marca e pesquise por referências. Assim, na hora de tirar as ideias do papel, a sua chance de ser mais assertivo será maior.


3. Defina um grid e hierarquize os elementos

grids e hierarquização de elementos para diagramação de mídia impressa

Você deve organizar o espaço que tem para diagramar, e o grid é excelente recurso. Com ele, é possível determinar as áreas que vão receber os textos e as imagens, além do espaço entre os blocos.

Por isso, teste várias opções de grid, para conseguir avaliar qual é a que melhor distribui o conteúdo. Depois disso, você só precisa respeitar a estrutura e a hierarquia do conteúdo para manter uma coerência visual.

Este, aliás, é um ponto muito importante de se destacar, pois ao considerar o peso que cada elemento deve ter, você deixa os conteúdos mais importantes em destaque e vice-versa. Esses conteúdos podem ser textos ou imagens. Para isso, basta organizar as informações do seu layout: do mais importante para o menos. É uma forma de você orientar o leitor visualmente de um jeito simples e claro, tornando a leitura agradável!


4.  Fique atento à tipografia

utilização de tipografia na diagramação

Quando for escolher as fontes que vai utilizar na diagramação, tenha em mente que é necessário que elas sejam evidentes ao leitor. O estilo da fonte precisa levar em consideração o conceito que a peça quer transmitir. Então, leve em consideração que, se o objetivo do seu layout é comunicar, ela precisa ser clara e objetiva. É preciso verificar se, visualmente, tudo combina e faz sentido.

Um princípio básico é não usar mais dois tipos de fonte por material. O ideal é dar preferência para a utilização de um modelo de fonte nos títulos e outro no corpo do texto. Esse recurso é essencial para definir ainda mais a hierarquia do conteúdo.

Lembre-se, também, de que para isso a fonte no corpo do texto tem que notadamente ser menor para não tornar a diagramação confusa. Por outro lado, não pode ser muito pequena, de uma forma que atrapalhe a leitura. O segredo é encontrar o equilíbrio entre esses elementos.

Ressaltamos também que o espaçamento entre as letras e o estilo da construção refletem diretamente na legibilidade do material. Se o conteúdo não estiver claro e legível, provavelmente o cliente perderá o interesse.

Outro ponto importante nos materiais impressos, é que se faça uma impressão teste para ver como vai ficar o resultado da sua diagramação no papel. Obviamente que este recurso é válido para aqueles formatos que possibilitam isso. De qualquer forma, isso ajuda a corrigir falhas e a melhorar a qualidade da sua entrega!

A Posigraf disponibiliza a aprovação virtual pelo seu Portal InSite para todos os trabalhos a serem impressos na gráfica, e imprime prova contratual simulando a condição de impressão final, quando o cliente solicita. Portanto, ajudamos nossos clientes também no seu processo de criação e fechamento para que seu material tenha o melhor resultado possível.


5. Respeite os espaços em branco e as margens

espaços em branco, as margens e sangria na diagramação

É preciso ter espaços entre cada bloco de conteúdo (textos, fotos, gráficos ou qualquer outro elemento) para que o leitor identifique as informações com facilidade.

Para fazer uma diagramação para mídia impressa profissional, você deve respeitar os espaços em branco, para que o visual não fique confuso ou não atrativo. As margens também precisam ter uma área de respiro para os elementos certos ficarem destacados na diagramação.

Ao produzir o material gráfico, lembre-se de deixar o arquivo para impressão configurado com as margens de segurança. Esse preparo vai evitar que o resultado final fique com áreas em branco sobrando ou corte alguma informação ou imagem importante.

Faça seu material dentro da margem de corte para que não ocorra nenhuma variação no corte do documento, deixando-o enquadrado. Sabemos que esse é o enquadramento ideal e que quase nunca causa problemas, mas é sim importante ter todas as áreas pré-definidas.

Outro ponto que precisa ser verificado é a área de sangria, que é o espaço além da margem de corte. É ela que evita que o material final fique com bordas brancas. Para isso não acontecer, a arte deve atingir a margem de corte.


6. Lembre-se da identidade visual da marca

uso correto da identidade visual da marca na diagramação

A identidade visual da marca deve ser respeitada. Ou seja, as formas, cores e fontes do material gráfico precisam dialogar com o estilo da marca.

É importante considerar a identidade visual adotada pela empresa e seguir todas as orientações do manual de marca que for disponibilizado para você. Este documento, em geral, indica as cores, as fontes, as variações de aplicação da marca e até os ícones a serem utilizados em alguns casos.

E falando em cores, elas são a alma do seu layout, porém, você precisa utilizá-las respeitando a identidade visual da empresa. Evite a combinação de cores que não se complementam ou que não tenham contraste uma com as outras.


7. Menos é mais

Dicas de como fazer uma boa diagramação para mídia impressa

Quando falamos de diagramação e design gráfico existe uma regrinha importante: menos é mais! A melhor forma de chamar a atenção do leitor é deixar espaços equilibrados. Essa é uma estética que se mostra eficiente, tornando o material mais conceitual e mais atrativo.

Um layout muito carregado – que tenha muito texto, diversas imagens, muitas cores e muitos elementos – mais atrapalha do que ajuda. Esse tipo de diagramação dificulta a comunicação que você precisa passar por meio da sua peça.

É preciso ter bom senso. Misturar estilos diferentes de fontes, de imagens e de cores podem deixar seu material cansativo e poluído visualmente. Exercite o equilíbrio das informações! Como? Praticando e pesquisando o máximo de referências até encontrar o melhor caminho para o seu projeto.

Aliás, todas essas dicas que demos no post precisam ser exercitadas. Afinal, com a prática, acabam virando um processo natural.




Esperamos ter ajudado você a entender melhor como fazer uma diagramação para mídia impressa criativa! Para ver mais conteúdos sobre diagramação e impressão, continue aqui em nosso blog. Acompanhe também nossas páginas no Facebook, Instagram e LinkedIn e fique por dentro das novidades!